São medidas de prevenção adotadas em pacientes sem manifestações de doença arterial coronariana ou de aterosclerose em outras artérias do organismo.

Para evitar o desenvolvimento do processo de aterosclerose, devemos primeiramente combater os fatores de risco cardiovascular que são modificáveis: dislipidemias (anormalidades do colesterol e suas frações), hipertensão arterial, tabagismo, diabete melito, obesidade, sedentarismo e estresse psicossocial.

Felizmente, a instituição de medidas para atingir alguns desses objetivos acaba auxiliando a atingir os outros. Por exemplo, o início de um programa de exercícios físicos ajuda o indivíduo a perder peso, o que por sua vez auxilia a reduzir o nível de colesterol, glicemia (açúcar no sangue) e a pressão arterial.

A interrupção do tabagismo também ajuda a aumentar o nível do "colesterol bom" (HDL-colesterol) e o controle da pressão arterial. Além das mudanças de hábitos de vida, para obtermos estas metas de prevenção, poderão ainda ser necessários uso de medicamentos.