A doença arterial coronariana é uma conseqüência direta da aterosclerose nas artérias coronárias. Logo, o seu aparecimento associa-se com a presença de fatores de risco cardiovascular. Este processo inicia quando os monócitos (um tipo de glóbulo brando de defesa) migram da corrente sangüínea para a parede arterial e transformam-se em células que acumulam material gorduroso. No decorrer do tempo, ocorre a formação de um espessamento irregular (placa de ateroma) no revestimento interno da artéria.

Esta placa de ateroma apresenta diversos estágios, classificados de acordo com sua forma, tamanho e presença ou ausência, de um acidente da placa de ateroma.

-Fatores de risco para aterosclerose (fatores de risco cardiovascular):

O risco de ocorrer aterosclerose aumenta com a hipertensão arterial, níveis sangüíneos elevados de "colesterol ruim" (LDL-colesterol), níveis baixos de "colesterol bom" (HDL-colesterol), tabagismo, diabete melito, obesidade (principalmente da cintura para cima ou abdominal), sedentarismo, estresse psicossocial e o envelhecimento. O fato de se ter um parente de primeiro grau que apresentou aterosclerose ainda jovem (parente homem com menos de 55 anos e parente mulher com menos de 65 anos) também é um fator de risco.